• Luma Monteiro

Série Syrah (Shiraz): Barossa Valley



Uma visão geral


Variedade tinta conhecida como Syrah na França e Shiraz na Austrália. De tamanho pequeno, com casca grossa e de cores bem escuras. Essa uva dá origem a vinhos de cor profunda, com taninos médios a elevados e acidez média. Normalmente, os vinhos são encorpados, com caráter de fruta preta (amora) e chocolate preto.


Syrah / Shiraz não amadurece em climas frios. Em regiões moderadas, pode haver indícios de herbáceos (menta, eucalipto), carnes defumadas e especiarias (pimenta-do-reino). Nas regiões vinícolas quentes, mostra mais notas de especiarias doces (alcaçuz, cravo). Com a idade, os melhores vinhos desenvolvem complexidades animais e vegetais (couro, folhas molhadas, terra).

Acompanha bem o tratamento com carvalho obtendo sabores de tosta, fumo, baunilha e coco.


Shiraz produtor Langmeil - Vinhedo The Freedom (veja abaixo Langmeil e o iconico The Freedom 1843)


Diferenças Regionais


Frutado (novo mundo)

Amora, mirtilo, Tobacco adocicado, chocolate, fumo, especiarias para bolos e baunilha. Encorpado.


Califórnia, EUA

Sul da Austrália

Espanha

Argentina

África do Sul


Savoury (principalmente velho mundo)

Ameixa, Azeitona, Pimenta Verde, Salgado, Couro, Bacon e Cacau em Pó. Encorpado a médio.


Rhone, França


Varietal

Sul da Austrália

Norte do Rhone (Hermitage, Cote-Rotie - as melhores denominações), França

Califórnia, EUA

Columbia Valley, WA, EUA


Corte

Cotes-du-Rhone, França

Languedoc-Roussillon, França

Castilla-La Mancha, Espanha


GSM - O corte do Rhone


GSM é o nome dado a um vinho feito por um corte de Grenache, Syrah, Mouvedre (em alguns casos, Cinsault também entra). Normalmente, o vinho tem frutas vermelhas (framboesa), frutas escuras (amora), ervas verdes secas e especiarias.


Grenache tem alto teor de açúcar, baixa acidez e pele fina. Apresenta normalmente um carácter de fruta vermelha (morango, framboesa), com notas de especiarias (pimenta branca, alcaçuz, cravo). Com o tempo, as notas de especiarias evoluem para toffee e couro. A uva precisa de um clima quente para se desenvolver.


Adicionando Grenache ao Syrah, dá um vinho com mais álcool, menor teor de taninos e menos acidez. Ele adiciona um impulso nos sabores de frutas vermelhas e sabores extras de especiarias.


Onde é feito?

França, Espanha, Austrália, EUA, África do Sul


Os da mais alta qualidade:

Sul do Rhone (Chateauneuf-du-Pape), França

Priorat, Espanha

Barossa Valley, Austrália


Serving and Food Pairings


Temperatura Ambiente - 15 - 18 degrees celsius


- Perfeito com:

Churrasco

Carne grelhada ou assada

Guisados de carne

Cordeiro assado


Queijos

Duros como cheddar, parmigiano, grana padano


A expressão em Barossa Valley


Australia > Sul da Australia > Barossa > Barossa Valley


Na Austrália, Shiraz / Grenache / Mataro (Mourvedre) fazem vinhos encorpados, intensos e complexos, especialmente do sul da Austrália. A região mais antiga e importante é Barossa. Esta região é única. Seu isolamento do resto do mundo protegeu os solos da vinha de serem infestados pela filoxera. Por isso, a região possui alguns dos vinhedos vivos mais antigos do mundo.

Barossa é o nome de uma área maior dividida em duas sub-regiões (também conhecidas como “GIs”) chamadas Barossa Valley e Eden Valley. Apesar da proximidade, essas duas áreas produzem estilos de vinhos reconhecidamente diferentes.


Barossa Valley é conhecido por produzir alguns dos vinhos mais poderosos e deliciosos do mundo. Normalmente usando Shiraz de vinhas velhas, os vinhos são poderosos, encorpados com taninos mais suaves e menos acidez.


Langmeil e o icônico The Freedom 1843 Shiraz


O produtor tem um vinho chamado Langmeil Shiraz Freedom 1843 - um dos vinhos mais importantes e icônicos da Austrália. Acredita-se que o vinhedo Freedom Shiraz foi plantado em 1843 por vigneron Christian Auricht. Escapando da guerra e da perseguição na Prússia, Auricht viajou para a Austrália, encontrando “liberdade” no Vale Barossa. Suas plantações originais sobrevivem até hoje. Agora, com 171 anos, estão algumas das vinhas mais antigas e raras do mundo.⁠


Algumas fotos da vinícola e do vinhedo Orphan Black da Langmeil.


O vinho e notas de degustação (léxico WSET)


Os antigos vignerons de Barossa se referiam a seus vinhedos como jardins. Os Três Jardins são uma mistura contemporânea de Grenache, Shiraz e Mataro, variedades cultivadas em Barossa desde a década de 1840. As melhores características de cada casta foram combinadas para criar um vinho verdadeiramente harmonioso.


Three Gardens GSM 2018

35% Grenache, 34% Shiraz, 31% Mataro (vinhas velhas 10 -100 anos)

Barossa Valley, Sul da Australia, Australia

R$ 190,00 (Paula Brazuna Vinhos)


* antes de provar este vinho, recomenda-se decantar durante 1 hora para melhor acesso aos aromas e sabores.


Cor rubi profundo.

No nariz, intensidade média (+) com aromas de amora madura / cozida, morango, ervas secas (orégano), pimenta preta, baunilha, cravo, chocolate preto.


Na boca, é seco, acidez média, alto teor alcoólico (14,5%).

Taninos macios e maduros, médios (+)

encorpado com intensidade média (+) de sabor.

O acabamento é médio (+).


Avaliação de qualidade: muito boa

O vinho tem concentração de fruta suficiente para equilibrar o alto teor alcoólico deste vinho. Com mais tempo, o álcool seria melhor integrado na fruta deste vinho, tornando-o marcante.

O acabamento tem um grande comprimento, mas o álcool está dominando um pouco a fruta. Se o vinho tivesse um pouco mais de concentração, seria excelente.

Os sabores deste vinho são de grande intensidade com bom acabamento. Um pouco de álcool (sensação de queimação) voltando ao paladar e permanecendo no lugar da fruta, então o vinho não se destaca.

Os vinhos apresentam uma grande combinação de diferentes cachos de frutas primárias. Mostra alguns aromas e sabores secundários do tratamento de carvalho. O vinho tem complexidade.

Definição varietal - Os sabores da fruta são bem definidos neste vinho. É possível identificar alguns aspectos característicos das uvas que fazem parte do blend GSM.


Adequado para envelhecimento em garrafa.

O nível de taninos deste vinho pode manter a estrutura para algum envelhecimento. As frutas frescas primárias evoluem para frutas secas (terciárias). O álcool pode ser integrado ao vinho com o tempo.